domingo, 21 de agosto de 2016

[2399] Joaquim Saial apresenta o livro "Notáveis Calipolenses - Uma Viagem pela História de Vila Viçosa", no dia 3 de Setembro, em Vila Viçosa, Portugal

116 figuras notáveis nascidas na nobre vila alentejana estão biografadas por Tiago Passão Salgueiro, neste livro de 444 páginas. Entre elas, a poetisa Florbela Espanca, os artistas plásticos Espiga Pinto e Henrique Pousão, o matemático e político democrata Bento de Jesus Caraça, o Rei de Portugal D. João IV e a sua filha Catarina, Rainha de Inglaterra, a humanista Públia Hortênsia de Castro, o escritor e publicista Albino Lapa, o tenor José Rosa, o arquitecto Nuno Portas e muitos outros, do século XIV ao XX.

Clique na imagem, para a poder ver melhor

[2398] Eis "O" pior post do Pd'B de todos os tempos

Chama-se este post "Provável Cabo Verde". Mais um dedicado ao curioso (seria mais correcto dizer às centenas de curiosos) que vem ao Pd'B ao cheiro de bons posts mas não comenta nem participa. Se não gostar deste, comente alguns dos 2397 anteriores, nomeadamente os dez mais recentes, sobretudo o 2395. Pd'B, que não se encontra de férias e preparara mais uma apresentação de livro, está sem apetite para gastar o seu precioso tempo (e o seu latim) a inventar assuntos para fiéis defuntos. Assim, arrepia caminho: Fsssssssssssssssttttttt, rinchhhhhhhhhhh, travagem, travão de mão, parou, sai a chave, aguardemos... Fica a seguir a este e para os próximos tempos um últimíssimo post 

Talvez o céu de Cabo Verde
Talvez uma montanha de Cabo Verde
Talvez o mar de Cabo Verde
Talvez o milho de Cabo Verde

sábado, 20 de agosto de 2016

[2397] LURA - Só um cartinha

[2396] Continua a aventura do professor Piccard em Cabo Verde (ver post 2390)

Ver post 2390 AQUI e batíscafo AQUI

"Diário Popular", 19.Outubro.1948, p. 1

A MARAVILHOSA AVENTURA. RETIDO EM DACAR POR MOTIVO DE DOENÇA DO PROFESSOR COSYNS, O "SCALDIS" PARTE AMANHÃ PARA CABO VERDE – Notícia proveniente de Dacar

Piccard e o prof. Tournesol (Hergé) inspirado em si
O professor Cosyns encontra-se de cama em consequência de um ataque de febre. Havia já algum tempo que o colaborador de Piccard estava fatigado pelo esforço despendido em dias e noites consecutivos de trabalho no porão do "Scaldis", onde regulava os múltiplos instrumentos do batíscafo, os tubos de Geiger-Muller que assinalam a presença dos raios cósmicos, as ligações de determinados comandos eléctricos, a colocação das vigias e uma imensidade de pormenores delicados cujo acabamento só podia fazer-se a poucos dias das experiências.

Além desse excesso de trabalho, que diariamente produzia os seus efeitos, o professor Cosyns sofreu um resfriamento numa noite em que o temporal o acordou e foi a correr desde a sua residência, no alto da cidade, até ao porto, a fim de ver se os tubos de Geiger-Muller em que trabalhara nesse dia não estavam à chuva. Embora com o vestuário encharcado, o professor Cosyns não resistiu à tentação de consagrar, com Luis Ockum, mais algumas horas à montagem deste importante instrumento e só foi repousar para o seu beliche do "Scaldis" às quatro da madrugada. Ao excesso de fadiga e ao resfriamento juntou-se a complicação de uma crise nervosa acompanhada de muita febre. Não se podia pensar em levar o doente a bordo do «Scaldis», cuja partida estava marcada para o dia 8 e também não era possível seguir viagem sem ele: a sua contribuição era tão importante que as experiências não podiam realizar-se na sua ausência. É esse o motivo por que a partida para as paragens de Cabo Verde, onde terão lugar todas as descidas do batíscafo, foi retardada até ao restabelecimento de Cosyns. (…) No entanto, este atraso não significa perda de tempo. Os dias de espera em Dacar foram utilizados pelos membros da expedição, Marlier e Van Den Eeckhoudt, para caçarem insectos na savana ou ainda para estudo das colecções do Instituto Francês da África do Norte.

Na piscina do Lido, o professor Piccard, acompanhado pelo seu filho e outros membros da expedição, aprendeu a servir-se do escafandro autónomo Cousteau-Gagnan, cujo funcionamento lhe foi explicado pelo comandante Filipe Tailez, chefe do grupo de investigações submarinas. O mergulhador Dumas e os marinheiros do "Ellie Monnier" foram os professores benévolos dos alunos aplicados do "Scaldis" que esperam assim ter ocasião de ver evolucionar o batíscafo a pouca profundidade, nas águas límpidas do arquipélago português. (…)

[2395] Boavista maquilhada. Veja como a ilha ficou depois das obras... Só no Pd'B

ESTE POST REFERIA-SE A UM ARTIGO DE UM ÓRGÃO DE COMUNICAÇÃO QUE REPRODUZÍAMOS, ONDE A FOTO QUE ILUSTRAVA A ILHA CABO-VERDIANA ERA DE UMA ILHA DO VIETNAME MUITO CONHECIDA POR TER SIDO UTILIZADA COMO CENÁRIO DE UM FILME DE JAMES BOND. ENTRETANTO, O  DITO ARTIGO FOI RETIRADO E POR ISSO AGORA JÁ NÃO É POSSÍVEL VÊ-LO.

Veja AQUI também o novo tipo de botes que agora podemos ver na ilha e ria-se um bocado... porque rir faz bem à saúde. Parece que ali será feito o novo filme do 007 que já tem o título provisório "James Bond ta cmê catchupa na Sal Rei". Por fim, não deixe de ver AQUI a ilha "gémea", na Tailândia.


sexta-feira, 19 de agosto de 2016

[2394] Ainda o livro de Salazar Ferro, agora, algures no Ohio... (ver post anterior)


[2393] Livro de Salazar... (mas Ferro), à venda na Austrália (ebay)

Salazar Ferro, jovem cadete da Armada portuguesa
O livro "Um Cabo-Verdiano Pelo Mundo" é de 2009, publicado pelas Hermes Press, editora com ligações em Nova Iorque, Nova Orleães, Sidney, Oxford e Tóquio. Em Portugal, entre outros eventuais locais, teve lançamento na Associação Cabo-Verdiana de Lisboa, com jantarada e tudo. Pd'B (que ainda não existia) esteve lá, como não podia deixar de ser. 

Agora surge à venda um exemplar em West Ryde, Nova Gales do Sul, Austrália. 26 dólares e 95 cêntimos custa ele. 

Quem se quiser habilitar, que se habilite. Pd'B já o tem desde 2009, com dedicatória e autógrafo, por preço suuuuuuuuubbbbbstancialmente inferior. Eis uma das vantagens de frequentar lançamentos de livros de autores das ilhas...


[2392] Pela primeira vez em Cabo Verde, uma pequena história da medalhística do País

Já saiu no "Terra Nova", em Cabo Verde, a 2.ª e última parte desta pequena história da medalhística nacional, anterior e posterior a 1975. Agora, é lê-la...



[2391] Gente cunchide, ta flá de Manuel d'Novas - Coração de Poeta (First Look)

[2390] Foi em Cabo Verde... Piccard e Cosyns em trabalhos científicos

"Diário Popular", 7.Outubro.1948, p. 1

A IMERSÃO DO BATÍSCAFO DE PICCARD E COSYNS REALIZAR-SE-Á NAS ÁGUAS DE CABO VERDE. A EXPEDIÇÃO LARGA HOJE DE DACAR (especial para o «Diário Popular») 

Piccard
Dacar, 5 – Os professores Piccard e Cosyns renunciaram ao projecto de fazerem a sua imersão no golfo da Guiné. Em vez disso vão descer a 4000 metros nas paragens das ilhas de Cabo Verde. A decisão foi tomada tendo em conta os resultados das sondagens e a situação meteorológica. 

O facto de a imersão se efectuar nas imediações de Cabo Verde tem a vantagem de evitar uma deslocação de 3500 quilómetros e adiantará as experiências em cerca de oito dias. Outras vantagens desta modificação dos planos são a segurança em caso de mau tempo, as facilidades de descarga da gasolina no regresso e, sobretudo, a transferência dos reservatórios que a contêm para o navio francês que tomará o batíscafo a seu cargo, operação que dificilmente poderia fazer-se em Port-Bouc.

Max Cosyns
Durante a sua estadia em Dacar, os professores Piccard e Cosyns têm tido entrevistas com Plumejeand, Tailliez e Cousteau, da Marinha de Guerra francesa, sobre a participação desta nas operações. Ficou decidido que, além do "Elie Meunier", a fragata meteorológica "Le Verrier" e a fragata de guerra "Cruz de Lorena", acompanhem o navio-mãe de hidroaviões "Paul Goffeny", que embarcará o batíscafo depois das experiências. Dois grandes aviões de reconhecimento da Armada, equipados com radar, poderão também intervir nas eventuais pesquisas. Terão a sua base na ilha do Sal, com autorização do governo português. 

A largada do "Scaldis" de Dacar está prevista para hoje.


quinta-feira, 18 de agosto de 2016

[2389] Num mês (e em tempo de férias), 10.000 visitas

Foi em 20 de Julho que o Praia de Bote atingiu 300.000 visitas (ver AQUI). Menos de um mês depois, temos mais 10.000 delas. Caso para dizer. Se não houvesse tanta gente muda (isto é, que lê os posts mas não os comenta), como o Pd'B falaria...

Tipo de frequentador mudo do Pd'B (à esquerda); frequentador que comenta  (raro, à direita)

[2388] o cabo-verdiano John (João) Pires, após a sua odisseia, ao colo de Joan Lowell, em 1931

Não traduzimos, pois todos os nossos visitantes são peritos na língua de Shakespeare. Mas ampliámos o texto, de má impressão. Quanto a quem foi Joan Lowell, ver AQUI. Ela sabia o que custavam aquelas longas, difíceis e perigosas viagens. Ou será que era apenas uma inventora? Deixamos a resposta aos nossos leitores. Eles que se desenrasquem... afinal de contas, o Pd'B está em férias e não pode pensar muito. Quanto ao destroyer USS "Davis" que ajudou a escuna "Arthur James" (que foi comandada entre outros pelos capitães Fortunato Alves e Neves), o mesmo. Pode "vê-lo" AQUI.

Imagem do "Plattsburgh Daily Republican", NY, de 18.11.1931


segunda-feira, 15 de agosto de 2016

[2382] Baía, Baía, com Gatas (que é o mesmo que dizer tubarões) e música ao mesmo tempo!

[2381] Praia de Bote e G15 (Grupo dos 15) homenageiam o falecido Café Royal do Mindelo

Como se sabe, Pd'B mantém desde sempre uma excelente relação com os artistas plásticos mindelenses. Por isso, aqui na redacção pensámos em homenagear o velho Café Royal e para tal pedimos aos boys & girls do G15 para trabalharem sobre uma foto de 1999 feita pelo nosso administrador, Djack d'Captania (na qual até aparece o dono de então, o Tchuna). Aqui ficam estas versões, todas elas graciosas (o Michel de nha Maninha ainda pediu 200 contos cabo-verdianos mas depois reconsiderou e também ofereceu a sua obra), pelo que se agradece penhoradamente aos elementos do grupo, ora sediado na velha esquadra d'pliça, a staçon. Após esta mostra virtual no Pd'B, os quadros ficarão expostos em permanência na Torre de Belém.

Michel de nha Tanha (aguarela)
Nhelas d'Matiota (óleo sobre madeira)
Pidrin "Bronc" d'Maderal (óleo sobre tela)
Tanha da Luz Semedo Pina (acrílico sobre madeira)
Djica Évora (técnica mista)
Maria da Luz d'Praça Nova (aguarela)
Adérito Ambrósio da Cruz Lima (técnica mista)
Djack d'pé d'Palóce (óleo sobre tela)
Agnela Oliveira de Matos Drête (óleo sobre carapaça de tartaruga)
Dade de Fonte Cónego (acrílico sobre tela)
Olavo Guibarra dos Santos (acrílico sobre madeira)
Orlando "Butim" Pereira (óleo sobre tela)
Djosa Lúcio Fortes (desenho a tinta da china)
Terência da Silva Brito (aguarela)
Gilin "Scuna Cúter Palhabote" Reis Cruz (óleo sobre tela)

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...