terça-feira, 17 de abril de 2018

[3726] Mais uma doutora cabo-verdiana

Foi ontem, no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, a partir das 14h30, que se iniciou a discussão da tese de doutoramento da nossa amiga Maria do Carmo Farias Daun e Lorena Santos, subordinada ao tema "Classe, memória e identidade: uma etnografia do carnaval de São Vicente". O acto académico terminou da melhor maneira, com "distinção e louvor", pelo que o Praia de Bote apresenta as suas mais sentidas felicitações e "quel braça d'ratchá osse" à nossa comentadora e nova doutora das ilhas. Mais uma vez, temos de gritar a plenos pulmões, como se fosse na escola da Praça Nova, na escola Camões ou no Liceu Gil Eanes: "Viva quel bôl, viva quel vin".

Cabe ainda dizer que a nova doutora teve como orientador da sua tese o Dr. João Manuel Monteiro de Castro Vasconcelos, como presidente do júri a Dr.ª Ana Margarida de Seabra Nunes de Almeida e como vogais os doutores António Leão de Aguiar Cardoso Correia e Silva (prestigiado académico cabo-verdiano, natural de Ponta do Sol, Santo Antão, antigo reitor da Universidade de Cabo Verde), Miguel de Matos Castanheira do Vale de Almeida, Maria Celeste Gomes Rogado Quintino, João Manuel Monteiro de Castro Vasconcelos e Nuno Miguel Rodrigues Domingos.

6 comentários:

  1. Pois é, Djack, estamos todos a correr pelas ruas, rostos perlados de suor, a gritar "Viva quel bol, viva quel vin!".
    Oxalá se abram todas as portas do mercado de trabalho para a nossa Amiga.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um bom trabalho, fruto de forte investigação que resulta num desfecho brilhante como este, é digno de todos os encómios. Mais importante que isso é haver mais uma doutora cabo-verdiana.

      Braça com borla e capelo,
      Djack

      Eliminar
    2. Obrigada, amigo Adriano. Vamos lá ver como segue o cortejo...

      Eliminar
  2. As minhas sinceras felicitações à Maria do Carmo com os votos de grandes sucessos na vida profissional e pessoal.

    ResponderEliminar
  3. E eu ?
    Aqui estou para felicitar a Amiga Carmo pela coragem que teve, correndo "pacima e piaboche c'tude casta d'gente" para fazer um estraordinàrio trabalho que ficarà para a Historia.
    Felicitações, Carmo, e felicidades.
    Bracinha pertod

    ResponderEliminar